Blog Beija Flor

Gripe em cães: sabia que seu cão pode ficar gripado?

26/04/2018 por Administrador
Visualizacoes: 221
Você sabia que a gripe em cães é algo comum? Mas, fique tranquilo, na maioria das vezes, a gripe canina não é uma condição perigosa para os cães. Se o seu cão está espirrando constantemente ou fazendo ruídos que parecem que ele está engasgando com alguma coisa, ele pode estar passando pela gripe canina.

O que é a gripe em cães?

Assim como os resfriados dos seres humanos podem ser causados por muitos vírus diferentes, a gripe canina, também conhecida como gripe dos canil, pode ter múltiplas causas.
Um dos culpados mais comuns é uma bactéria chamada bordetella bronchiseptica. Essa bactéria se aproveita quando o cão está com a resistência mais baixa. Geralmente isso ocorre quando o animal está infectado por: adenovírus, vírus da cinomose canina, vírus da herpes canino, parainfluenza ou reovírus canino.

Como acontece a transmissão?

Os cães pegam a gripe canina quando inalam bactérias ou partículas de vírus no trato respiratório. Ou seja, a transmissão acontece pelo ar.
Normalmente, o aparelho respiratório dos cães é revestido com uma “capa de muco” que retém essas partículas infecciosas. Mas, existe uma série de fatores que podem enfraquecer essa proteção natural e fazer com que os cães fiquem mais propensos à infecção. Entre esses fatores podemos citar:
  • aglomeração de cães em lugares mal ventilados: comum em muitos canis e abrigos de animais
  • temperaturas mais baixas (inverno)
  • exposição à poeira ou fumaça de cigarro
  • estresse induzido por viagens

Sintomas e tratamento

Os sintomas da gripe em cães são bem simples: tosse persistente, espirros constantes, corrimento nasal ou secreção ocular.
Como a doença é de fácil transmissão, caso o seu cão esteja com os sintomas da gripe, evite o contato dele com outros animais de estimação. Embora a maioria dos casos se resolva sem tratamento, dentro de aproximadamente três semanas, é importante procurar o médico veterinário.
A gripe canina em animais frágeis como filhotes, cachorros idosos ou cães que apresentem condições de saúde mais sensível, pode evoluir para uma pneumonia. Além de prevenir a evolução da doença, os medicamentos e tratamentos indicados pelo médico veterinário podem acelerar a recuperação do animal ou minimizar os sintomas durante o curso da infecção.

Prevenção da gripe em cães

A melhor prevenção contra a doença é a vacinação dos animais. Existem três formas de vacina: a injetável, uma administrada via nasal e uma que pode ser administrada por via oral. É importante perceber que nenhuma das formas de vacinação contra a gripe tratará infecções ativas.
Vacinas injetáveis
A vacina contra a bordetella bronchiseptica, é apresentada ao filhote a partir dos 6 meses de vida. Ela é aplicada em duas doses iniciais espaçadas em 21 dias, seguida da dose de reforço anual.
E, ainda existe a vacina polivalente que trabalha contra a maioria dos agentes patogênicos da tosse dos canis. Ela serve para combater a parainfluenza, o adenovírus (tipos 1 e 2) e o coronavírus. A polivalente deve ser aplicada em filhotes com 45 dias de vida, através de três doses espaçadas em 20 dias, e com reforço anual.
Essas vacinas fazem parte do programa de vacinação dos cães. Procure o médico veterinário e informe-se sobre todas as vacinas e seus protocolos.