Blog Beija Flor

O que donos de Pugs precisam saber

09/09/2020 por Administrador
Visualizacoes: 92
Se você é proprietário ou pensa em ter um Pug como amigo, saiba que o cachorro Pug tem tendência a uma série de problemas de saúde por conta de sua estrutura corporal. Se você tem um desses cãezinhos, deve ficar atento a alguns cuidados para prevenir situações mais sérias.

A estrutura facial do Pug é um dos principais motivos da tendência que os animais da raça têm de desenvolver problemas respiratórios. Com o focinho achatado, paladar mole e traqueia e narinas mais estreitas que o normal, eles já apresentam dificuldade para respirar naturalmente.

É por isso que na grande maioria das vezes, eles estão ofegantes, além de estarem mais expostos a doenças contagiosas, como a gripe canina. Evite exercícios pesados e exposição ao calor extremo, essas atividades que para outros cães são comuns, para os pug, podem ser fatal.

Obesidade, o estilo de vida de um pug, pode levar ele a obesidade, por não poder realizar muitos exercícios, e essa falta aliada ao apetite, que no pug, geralmente é alto, levam a taxa de obesidade a ser alta nesta raça. O Ideal é sempre uma dieta balanceada, com ração própria e pequenas caminhadas podem fazer parte do dia a dia do pug. 
A obesidade pode gerar outros comprometimentos em seu corpo, doenças articulares, luxação de patela também são comuns nessa raça, por isso evite pisos escorregadios, ambientes frios e escadas.
Dermatites e acnes são comuns nos pugs, a acne se desenvolve facilmente na região do focinho, onde a pele é mais sensível, isso também ocorre porque essa região é mais oleosa e aliada com a sujeira dos alimentos ingeridos por ele. O tratamento é simples, mas deve ser indicado por um veterinário de sua confiança. Outra dermatite pode ser gerada por fungos e bactérias, após o banho ou em brincadeiras com água, as dobrinhas do seu corpo, podem ficar úmidas e gerar esses microrganismos causadores de dermatites e alergias, o ideal é manter a vacinação, remédio de carrapatos e os vermífugos em dia.

A lista continua com as Otites, assim como outras raças, suas orelhas dobradas para baixo, geram um ambiente abafado e propicio a desenvolver infecções causadas por agentes externos, o ideal é limpar uma ou duas vezes por semana, e sempre que possível, um veterinário verificar a saúde dos seus ouvidos.

Para finalizar, algo que mais chama a atenção em um PUG, seus olhos “esbugalhados” uma característica marcante da raça, mas a anatomia do pug, deixa seus globos oculares para fora, com essa exposição, facilmente o animal pode esbarrar em algum lugar, ou sofrer algum tipo de acidente, isso aumenta a chance de uma úlcera de córnea. Esta exposição também deixa o animal, exposto a irritações e infecções oculares. Mas a questão mais séria, é quando o cão sofre um trauma, e ocorre o prolapso do globo ocular, quando o olho sai da órbita, é uma emergência que precisa de cuidados veterinários.

Apesar de um lista extensa, o PUG é uma ótima companhia, e com cuidados, consultas de rotinas, mantendo vacinação, vermifugação e alimentação bem cuidados, você vai ter um amigo fiel por muitos anos.